Menu

COVID-19: Discurso de Sua Majestade o Rei da Suécia

06 abr 2020

"Eu pensei em outras pessoas? Ou eu me coloquei em primeiro lugar? Teremos que conviver com as escolhas que fazemos hoje, por muito tempo. Elas irão impactar muitos."

Mensagem transmitida pela emissora SVT no domingo, 05/04, por ocasião da pandemia de COVID-19.

"A semana que antecede a Páscoa é comumente chamada Semana Santa.
Hoje, Domingo de Ramos, marca o início dessa semana solene. E em muitos lugares o clima é mais solene do que nunca.

O Covid-19 tem a Suécia e o mundo em suas mãos. Ruas e praças estão vazias e silenciosas.

A pandemia foi um grande golpe para nossos negócios, trabalhadores e economia sueca - para a sociedade sueca como um todo.

Ao mesmo tempo, em outras partes da sociedade, a próxima semana será praticamente tranquila.

A mobilização cívica está ocorrendo. Estou pensando em particular no setor de saúde. Lá, funcionários e voluntários estão trabalhando agora - juntos - para salvar o maior número de vidas possível.

Essa é uma tarefa enorme. Isso requer coragem. E isso exigirá resistência. A todos vocês envolvidos neste trabalho vital, ofereço meus sinceros agradecimentos.

Voltemos nossos pensamentos para todos os que estão trabalhando para garantir que o restante da Suécia continue funcionando - apesar das restrições da situação e dos riscos à sua própria saúde.

E para aqueles que se certificam de que os idosos recebam os cuidados de que precisam, que possamos comprar comida, que o transporte público continue a operar e tudo o que tão facilmente tomamos como certo e garantido - meus mais calorosos agradecimentos a todos.

Como mencionei, a Semana Santa nos leva à Páscoa. Para mim e para muitas pessoas em nosso país, esta é uma celebração importante e pela qual estamos ansiosos.

É um momento em que estamos ansiosos para viajar e talvez passar algum tempo com a família e os amigos. Muitos vão à igreja.

Mas, nesta Páscoa, parte disso não será possível. Temos que aceitar isso. Temos que repensar, nos preparar para ficar em casa.

Podemos ficar tristes com isso. Mas haverá outros feriados de Páscoa. Afinal, para a maioria de nós, isso exigirá sacrifícios relativamente menores - especialmente se compararmos isso com ficar gravemente doente ou perder um amigo ou membro de nossa família.

Hoje, penso especialmente em todas as crianças em nosso país que agora correm o risco de perder os avós. De perder a segurança e a sabedoria que eles podem oferecer.

Pelo bem deles, devemos agir de forma responsável e desinteressada. Todos no nosso país têm essa obrigação. Todos e cada um de nós.

Ainda há muita incerteza. Mas uma coisa é certa: lembraremos desses tempos e olharemos para eles.

Eu pensei em outras pessoas? Ou eu me coloquei em primeiro lugar? Teremos que conviver com as escolhas que fazemos hoje, por muito tempo. Elas irão impactar muitos.

A Páscoa em breve estará aqui. E celebrando ou não, acredito que podemos abraçar sua mensagem:

A jornada é longa e árdua. Mas, no final, a luz triunfará sobre a escuridão e seremos capazes de sentir a esperança novamente.

Dentro de algumas semanas, terei 74 anos. É uma idade e tanto. Mas isso também significa que vivi muitas das crises que nosso país passou.

Vi como as crises nos ajudam a reavaliar, a distinguir entre importante e sem importância. Como o medo se transforma em uma compreensão da seriedade do problema e como ele pode ser resolvido.

E uma coisa que aprendi é o seguinte: por mais profunda ou prolongada que uma crise se torne, ela finalmente chegará ao fim.

E quando isso acontecer, todos nós nos beneficiaremos da consideração e força que o povo sueco está demonstrando agora.

Essa força será um trunfo para o nosso país - no futuro que ansiamos.
Resta agora desejar a você e a todos na Suécia uma Páscoa agradável - apesar de tudo.

E, embora possa ser difícil, lembre-se: você não está sozinho."

Última atualização 06 abr 2020, 09.20