Menu

Suécia & Moçambique

Monitoramento da Pobreza - Constatações da Realidade

Apesar de Moçambique ter passado por um crescimento económico excepcional desde a assinatura dos acordos de paz em 1992 e estar actualmente posicionado como um dos países com maior crescimento a nível mundial, a pobreza em todas as suas formas, permanece excepcionalmente elevada e persistente no país.

Moçambique está classificado na posição 185 do Índice de Desenvolvimento Humano, apenas com a República Democrática do Congo e Níger classificada abaixo. Devido ao facto de Moçambique continuar a depender significativamente da ajuda externa, sendo este um dos maiores beneficiários da ajuda externa, o monitoramento e programação da pobreza ocorrem geralmente no âmbito da Estratégia Nacional de Redução da Pobreza e no contexto da respectiva estrutura específica da ajuda externa. Este processo demonstrou uma tendência em basear-se bastante nos dados quantitativos contidos em pesquisas nacionais e outros estudos semelhantes encomendados por vários actores de desenvolvimento.

Dado que a pobreza é considerada multidimensional, dinâmica e relacional, tais estudos quantitativos - por sua própria natureza - não capturam necessariamente todas as diferentes dimensões da pobreza que podem ser consideradas relevantes para o monitoramento eficaz, a criação e a implementação de políticas de desenvolvimento, estratégias e programas. Portanto, neste contexto, já foi fundamentado que os estudos e as análises qualitativas publicadas servem não somente para complementar, mas também para aumentar o valor dos dados quantitativos em utilização, contribuindo para uma compreensão mais holística e multidimensional sobre a pobreza.

Como resultado, e com este propósito em mente, a Embaixada da Suécia em Maputo iniciou um estudo longitudinal sobre a pobreza e o desenvolvimento em Moçambique durante 2011. O estudo "Constatações da Realidade em Niassa", como é actualmente conhecido, ocorre ao longo de um período de cinco anos e se afasta da noção de que a pobreza é multidimensional, baseada na percepção, centrada nos recursos, bem como relacional. Os objectivos específicos do estudo consistem em melhorar o conhecimento e a compreensão sobre a pobreza e o bem-estar em Moçambique, estimular a discussão pública, bem como fornecer um método alternativo e complementar, através do qual a pobreza e o impacto do desenvolvimento podem ser percebidos, monitorados e abordados, tomando em consideração a reflexão "a partir de baixo", conforme articulada por pessoas e comunidades.

O projecto consiste em uma série de cinco relatórios, um relatório de concepção, um estudo de base e três relatórios anuais subsequentes, cada um partindo de uma área temática diferente indicada pelo ponto focal estratégico da Suécia, conforme estabelecido na estratégia de cooperação em curso (administração, agricultura, renda e energia). O projecto, actualmente iniciando o seu terceiro ano, está  a ser realizado pela empresa de consultoria Orgut em colaboração com o Instituto Christian Michelsen (CMI) e a COWI Consult, que muito recentemente produziram os resultados para o ano 2, com um foco específico na governação.

Os estudos específicos, na sua totalidade, visam combinar informações qualitativas e dados quantitativos, como forma de medir as mudanças em três distritos da província de Niassa (Cuamba, Lago e Majune), ao longo de um período de cinco anos.

Última atualização 08 jan 2018, 16.51