Menu

Consulado da Suécia é reaberto em Belo Horizonte

05 mar 2020

Após quase dois anos fechado, o Consulado da Suécia em Belo Horizonte foi reaberto. Na última quarta-feira, 04/03, uma delegação sueca liderada pela Embaixadora Johanna Brismar-Skoog participou de diversas atividades e encontros na capital mineira ao lado do novo Cônsul, Mateus Quintela, para celebrar o marco.

Dada a importância do setor de extração mineral tanto para a Suécia quanto para o Brasil, o pontapé inicial da retomada das atividades em Minas Gerais ocorreu com o lançamento da “Aliança Estratégica de Mineração Sueco-Brasileira”, que tem como principal objetivo ajudar as empresas mineiras de mineração a se tornarem mais sustentáveis e rentáveis.

"Há muitas oportunidades na colaboração entre Suécia e Minas Gerais", afirma a Embaixadora Johanna Brismar-Skoog. "A Aliança Estratégica de Mineração Sueco-Brasileira vai aprofundar o trabalho que fazemos juntos em setores como pesquisa, sustentabilidade e futuro da mineração”, afirma. "Já estamos, inclusive, conversando com o Governo do Estado e com empresas privadas daqui", revela.

“Optamos por abordar a sustentabilidade na mineração não apenas pelos últimos acontecimentos com relação aos rompimentos de barragens de rejeitos no Estado, mas pelos impactos causados pelo setor e por sua importância na economia e na vida das pessoas. Vamos apresentar experiências que mineradoras suecas tiveram mundo afora e trazê-las para o Brasil”, explica Quintela.

Para o Subsecretário de Promoção de Investimentos e Cadeias Produtivas da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), Juliano Alves, pensando na mineração como um todo, a Suécia pode oferecer bastante em termos de tecnologia. “Se nós pensarmos a mineração com um olhar para o futuro, há vários caminhos que podem tornar a nossa mineração mais competitiva, muito graças ao aporte dessa parceria com a Suécia. Por exemplo, tratamento de resíduos. Os suecos são primorosos nesse aspecto. Monitoramento de barragens, tecnologias relativas à segurança, inteligência artificial. São vários os segmentos que podem tornar esse setor mais competitivo. Minas não pode deixar de ser líder desse processo no Brasil, em vista da importância que o setor tem aqui”, ressalta.

Mas a ideia é de que o apoio não pare por aí. Segundo o cônsul Mateus Quintela, assim como a mineração, o setor de logística e transportes também possui grande relevância quando o assunto é a relação entre Minas e Suécia e também deverá ser trabalhado. Além disso, as atividades aeronáutica e de engenharia apresentam grandes potenciais e também estarão nas pautas do consulado. "Nosso trabalho ocorrerá de maneira bilateral, com ações para identificar potenciais no mercado brasileiros para as empresas suecas, parceiros e fornecedores em Minas Gerais, e também para promover as atividades de empresas mineiras naquele país", explica.

Existem, hoje, em torno de 220 empresas suecas presentes no Brasil e que empregam aproximadamente 60 mil pessoas, além de movimentarem mais de 30 bilhões de coroas suecas (SEK) por ano. Volvo, Scania, Epiroc, Sandvik, SKF e ABB estão entre as principais empresas suecas com atuação em terras brasileiras.

SERVIÇO

Consulado Honorário da Suécia em Belo Horizonte

Horário de atendimento: segunda a sexta-feira, das 9h às 12h
Endereço: Rua Curitiba, 1396, 3º Andar, Lourdes
E-mail: atendimento@consuladosueciamg.org
Telefone: +55 (31) 3082 4402
Celular: +55 (31) 99955 6690

Última atualização 07 mar 2020, 11.18